Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

21 de nov de 2011

Pequenos vôos musicais azulados...

Prelúdio

Às vezes, o silêncio prenuncia
Suavidades ou fúrias, entropias,
Mudanças de ritmo ou de rota,
Transfigurações, sensações, sinfonias...

Às vezes, o silêncio adivinha
Novos movimentos, encantos ou vozes,
Reafinação do caos, do corpo, da alma,
Reconfigurações no cosmos, arroubos velozes...

Às vezes, o silêncio pressagia
Eclipses solares, chuvas, semeaduras,
Pinceladas divinas num jardim lilás,
Manhãs iluminadas ou noites muito escuras...

Às vezes, o silêncio precede
Rufar de asas, árias de sereias,
Nascimentos lunares, sons de alaúde,
Danças no mar-cobalto, bailados nas areias...

Às vezes, o silêncio anuncia
Encontros musicais, finais, vitais,
Outros vôos e ventos, reuniões ou rompimentos,
No túnel do tempo sem fim, viagens e espirais...

(Ana Luisa Kaminski)

***





*IMAGENS: "Pequeno Vôo Musical Azul" . Pintura de Ana Luisa Kaminski

***

3 de nov de 2011

As velas dos moinhos...



Vai descobrir as velas dos moinhos
e as rodas que os eixos movem,
o tear que tece o linho,
a espuma roxa dos vinhos,
incêndio na face jovem.


(ANTÓNIO GEDEÃO)


IMAGEM: PINTURA da artista ANNA SILIVONCHIK

***