Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

6 de nov de 2013

Tessitura

EPIFANIA ou TESSITURA

Cada um colhe o que semeia... Aquilo que pratica, pensa e deseja é o que atrai... Assim se constrói a própria trajetória, cria-se um bordado, uma história, uma tessitura. Cada pessoa reflete ao redor de si aquilo que existe em seu mundo interior... Cada ser tece o seu destino com fios de doçura ou de amargura, com dureza ou delicadeza, com doses de alegria e angústia, medo e coragem, sanidade ou loucura, durante o fiar, o con-fiar, o tecer, o colorir a urdidura. 

Amar cura!!! Cada um cultiva seus jardins e faz sua semeadura.

As pessoas amorosas e gratas despertam admiração. As pessoas frias e ingratas despertam dó e compaixão. Sem uma boa dose de tolerância, flexibilidade e sublimação não existiriam ciência, arte e cultura.  Se os erros e acertos de cada um aparecessem à clara luz do dia, muitos ficariam surpresos!... com a própria intransigência, fulgurância ou com sua parte mais escura!

A firmeza com suavidade, o perdão, a amorosidade são os melhores caminhos para o aprimoramento do SER, o aprendizado, a criação, a arte do sentir e do saber. Caminhos complexos, ricos e curvilíneos para o crescimento, para a luz e o prazer de viver, para escapar da doença e da amargura. AMAR CURA!!!


(Ana Luisa Kaminski)





***