Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

16 de fev de 2016

Sinestesias

"As grandes questões da vida brotam bem cedo em nossas mentes como sensações em busca de palavras. É por isso que a criança que habita em nós é também o lugar desde onde podemos amansar nossas dores, desde onde podemos tornar uma vida adulta uma vida boa, desde onde podemos amadure-Ser."

(Evelin Pestana)




Imagem:  "Sinestesias". Pintura de Ana Luisa Kaminski


4 de nov de 2015

Vida e arte.





Pintura: "Sinestesias I"
Obra de Ana Luisa Kaminski K.
Acrílica sobre tela.

31 de ago de 2015

Arte e cura


"Para o artista, a arte é o melhor meio, ou igual à meditação, para silenciar a mente. Para o observador é cura, se essa arte tiver sido concebida de níveis superiores do ser." 

(Marta Alicia Plaul)


12 de ago de 2015

Um anjo vem todas as noite


Um anjo vem todas as noites:
senta-se ao pé de mim, e passa
sobre meu coração a asas mansa,
como se fosse meu melhor amigo.
Esse fantasma que chega e me abraça
(asas cobrindo a ferida no flanco)
é todo o amor que resta
entre ti e mim, e está comigo.

(Lya Luft)
***

12 de ago de 2014

Alma azul

“A vocação do artista é lançar luz sobre a alma humana.”

(George Sand)

***





Imagens: "Mulher Azul do Mar". 
Pintura de Ana Luisa Kaminski

12 de jul de 2014

Mulher azul do mar

Que a Vida prevaleça, que o Amor impere, que a Poesia floresça!!!

(Ana Luisa Kaminski)


*Imagem: fotografia da obra "Mulher Azul do Mar", pintura de Ana Luisa Kaminski, em processo.


8 de mar de 2014

Flores em profusão

" [...] e eram flores em profusão, desabrochando, florindo, por toda a cidade, flores em todos os cantos, becos, ruelas e avenidas floridas, e eram flores caindo pelos prédios, edifícios, saltando das janelas das casas, dos apartamentos, caindo pelas escadas e sobre os corrimões, eram flores e mais flores, as casa que estavam fechadas viam entrar flores por baixo dos frisos das portas e pelas arestas das janelas fechadas também entravam flores e pétalas, nos prédios em construção, nas casas abandonadas e nos terrenos baldios dos bairros da cidade igualmente floriam rosas, azaléias, nas escolas e universidades, amores-perfeitos nos pátios das creches e jardins de infância, tulipas dentro das salas de aula, eram crisântemos nas igrejas e violetas nos departamentos de polícia, nas delegacias,nos hospitais proliferavam flores, bromélias, nas fábricas e nas lojas, nas vendas, mercearias, margaridas nas bibliotecas, estrelícias e begônias dentro dos shopping centers e supermercados, gerânios nos estacionamentos, e eram magnólias nos parques-aquáticos e nos playgrounds, as flores de laranjeiras, dos maracujás, as flores das macieiras nos escritórios e repartições públicas, e de toda a sorte de árvores frutíferas e todas as outros tipos, das frondosas e velhas árvores e das jovens mudas, todas floresciam, compondo tapetes multicolores por sobre as calçadas e até mesmo nas ruas, eram flores perfumosas a cobrir o asfalto das rodovias (...) eram ares cheirosos perfumando as pessoas por dentro. [...]"  (João Amado)






Imagem: "Ninfa no Paraíso Azul".
Pintura de Ana Luisa Kaminski

20 de jan de 2014

Águas, asas, sonhos...

Onde eu navego as minhas próprias e grandes águas,
estou eu muito perto de ti
onde tu passeias
e falarei em breve uma língua
de tudo o que nós amamos.

(Gunnar Björling)

Imagem: "Ninfa Azul Sonhando". Pintura de Ana Luisa Kaminski

Edição digital: Alberto N. Delacoste Fernandez

19 de jan de 2014

Viver é a maior dádiva!

Viver é saber desfrutar da dádiva de estarmos vivos.



Imagem: "Violoncelista Onírica".
Pintura de Ana Luisa Kaminski


***

5 de jan de 2014

Viver com Arte





"A arte da vida consiste em fazer da vida uma obra de arte."

(Mahatma Gandhi) 

Imagem: Ciclos Róseos". Pintura de Ana Luisa Kaminski

3 de jan de 2014

Delicadeza


"Só é capaz de se comportar com delicadeza quem tem  necessidade dessa mesma delicadeza."

(Hermann Hesse)

Pinturas de Ana Luisa Kaminski




(Edição digital desta imagem: Alberto Newton Delacoste Fernandez)







6 de nov de 2013

Tessitura

EPIFANIA ou TESSITURA

Cada um colhe o que semeia... Aquilo que pratica, pensa e deseja é o que atrai... Assim se constrói a própria trajetória, cria-se um bordado, uma história, uma tessitura. Cada pessoa reflete ao redor de si aquilo que existe em seu mundo interior... Cada ser tece o seu destino com fios de doçura ou de amargura, com dureza ou delicadeza, com doses de alegria e angústia, medo e coragem, sanidade ou loucura, durante o fiar, o con-fiar, o tecer, o colorir a urdidura. 

Amar cura!!! Cada um cultiva seus jardins e faz sua semeadura.

As pessoas amorosas e gratas despertam admiração. As pessoas frias e ingratas despertam dó e compaixão. Sem uma boa dose de tolerância, flexibilidade e sublimação não existiriam ciência, arte e cultura.  Se os erros e acertos de cada um aparecessem à clara luz do dia, muitos ficariam surpresos!... com a própria intransigência, fulgurância ou com sua parte mais escura!

A firmeza com suavidade, o perdão, a amorosidade são os melhores caminhos para o aprimoramento do SER, o aprendizado, a criação, a arte do sentir e do saber. Caminhos complexos, ricos e curvilíneos para o crescimento, para a luz e o prazer de viver, para escapar da doença e da amargura. AMAR CURA!!!


(Ana Luisa Kaminski)





***


27 de out de 2013

Pequenas reflexões kaminskianas sobre o amor



Tempos atrás, alguém que amo me disse que é durante situações difíceis, penosas ou tensas que podemos descobrir quem realmente nos ama, a partir de suas atitudes e reações... e então, pensei bastante sobre a verdade destas simples palavras. De fato, é quando passamos por apuros, ou quando falhamos e estamos frágeis, que descobrimos se alguém nos ama, realmente!... Nestes momentos, algumas pessoas podem ficar indiferentes ou frias, podem ser cruéis ou zombeteiras, podem até nos fazer cair mais um pouco ou pisar sobre nós, outras talvez nos lancem um olhar cínico ou nos desprezem... Entretanto, as verdadeiramente amorosas, estendem a mão, nos ajudam a levantar, tratam de nossas feridas, nos reanimam, procuram mostrar que existem modos de aproveitar o tropeço e até a queda como aprendizado, como chance de aprimorar o ser... Enquanto alguns se mostram insensíveis ao nosso sofrimento e angústia, e estão por perto apenas nas horas fáceis, leves e alegres, outros, mais leais, partilham dores e prazeres, de modo desprendido, mais maduro e generoso... 


Quem ama, de fato, não nos desdenha na hora em que mostramos as facetas menos belas ou mais imperfeitas do ego, mas continua vendo e valorizando o que temos de melhor e precioso – e nos lembra disso, mesmo que nosso narcísico eu esteja partido em mil pedaços e a tola vaidade humana, estilhaçada!... O ser amoroso ajuda a catar os cacos e rejuntá-los, participa da reinvenção do caminho, do destino e da alegria.


Outra pessoa querida lembrou-me destas palavras sensíveis e sábias de Clarice Lispector: “Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca.” Seja qual for o sentido ou significado que damos à nossa viagem vital, certamente a escolha entre amar ou não amar faz muita diferença! Amar os outros, amar nosso trabalho, amar a natureza, amar a própria vida... pode ser o segredo por tantos esquecido, num tempo em que o amor-próprio e o culto ao individualismo parecem exacerbados, ainda que acabem conduzindo, no mais das vezes, à tristeza, à amargura, à decepção... O amor aos outros, por sua vez, se dispensado na mesma medida em que procuramos agradar a nós mesmos, acaba resultando em satisfação íntima, num júbilo invisível mas reluzente, que faz brilhar os olhos, adoça e enternece a voz, enobrece os gestos, faz fulgurar as almas e resgata esperanças, valores e singularidades. Viver com amor e coragem, exercitar a delicadeza no cotidiano, cultivar laços - esta é a maior arte!

(Ana Luisa Kaminski
. Texto escrito e publicado em 27 de outubro de 2010. Republico hoje, com pequenas alterações.)

18 de out de 2013

Que a arte nos aponte uma resposta...

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para faze-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção..
E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade... também.

(Oswaldo Montenegro)


Imagem: "Ciclos Azuis e Lilases". Pintura de Ana Luisa Kaminski

15 de out de 2013

Olhos de ver...

"Para quem não anseia senão ver, há luz bastante; mas para quem tem oposta disposição, sempre há bastante escuridão".
(Blaise Pascal)

13 de out de 2013

Dar à luz...

"Tudo está em deixar amadurecer e então dar à luz. Deixar cada impressão, cada semente de um sentimento germinar por completo dentro de si, na escuridão do indizível e do inconsciente, em um ponto inalcançável para o próprio entendimento e esperar com profunda humildade e paciência a hora do nascimento de uma nova clareza: só isso se chama viver artisticamente, tanto na compreensão quanto na criação."

(Rainer Maria Rilke)




*Imagem: "Ninfa Azul". Pintura de Ana Luisa Kaminski
Edição digital de Alberto Newton Delacoste Fernandez

10 de out de 2013

Cuidar das emoções com carinho...



"Pelo fato da vida ser, relativamente, tão curta e não comportar “reprises”, para emendarmos nossos erros, somos forçados a agir, na maior parte das vezes, por impulsos, em especial nos atos que tendem a determinar nosso futuro. Somos como atores convocados a representar uma tragédia (ou comédia), sem ter feito um único ensaio, apenas com uma ligeira e apressada leitura do script. Nunca saberemos, de fato, se a intuição que nos determinou seguir certo sentimento foi correta ou não. Não há tempo para essa verificação. Por isso, precisamos cuidar das nossas emoções com carinho muito especial."
(Milan Kundera)






("Jarro Azul". Pintura de Ana Luisa Kaminski)

18 de set de 2013

Arte, saber e liberdade

"A arte é um meio de libertação, de sabedoria, de contemplação e de conhecimento. A arte não é separada do viver. O fim da atividade artística não é a obra, mas a liberdade, e a liberdade não é o saber, mas o que dele emana"
(Marcel Duchamp)


14 de set de 2013

Celebrar...

“Quando reconhecemos a fonte comum da nossa humanidade, as origens comuns dos nossos sonhos e anseios, das nossas esperanças e dos nossos medos, tornamo-nos capazes de perceber que estamos todos juntos no grande milagre da existência. Quando conseguimos somar nossa enorme riqueza interior para criar um tesouro de amor e sabedoria que esteja ao alcance de todos, ficamos todos interligados no mecanismo único da criação eterna.

A vida lhe foi dada para que você crie, seja feliz e celebre. Quando você chora, quando está infeliz, fica sozinho. Quando está celebrando, a existência participa com você.

Somente na celebração encontramos o que é fundamental, o que é eterno. Somente na celebração ultrapassamos o círculo do nascimento e da morte”. (Osho)




*Fotografia: Ana Luisa Kaminski fotografada por Lara Lunna, em Sarlat-la-Canéda, França/Edição artística de Alberto Newton Delacoste Fernandez

5 de set de 2013

Amar é sempre ir além...

Ser capaz de amar é ter olhos abertos para continuar vendo o melhor do outro, suas qualidades, sua beleza, sua luz e seu valor, mesmo após ter visto e conhecido suas sombras, suas fraquezas, sua escuridão. Ser capaz de amar é saber perdoar, é ter a grandeza de se colocar no lugar do outro e reconhecer, também, quantas vezes fomos acolhidos, confortados, compreendidos, perdoados e amados. Saber amar é exercitar o olhar amoroso sobre o outro, é não perder sua luz de vista, é permitir que as névoas dos medos e mágoas se dissipem... "é ultrapassarmo-nos", como escreveu O. Wilde. Amar é ter coragem, às vezes, de se ver espelhado no outro. Seja escolhendo ficar ou indo embora, de perto ou de longe, amar é sempre ir além, focalizando a luminosidade do ser e fazendo a travessia de nossa humanidade com um olhar claro, largo e generoso para com o melhor e o pior do outro e para consigo mesmo.

(Ana Luisa Kaminski)