Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

16 de mai de 2006

Desejos















De novo, semi-indomesticável... Impulsos apaixonados me vêm, voando dentro e fora de mim, borboletas afoitas, alegres e atrevidas, coloridas borbo-leoas, me fazem sonhar mais do que o usual... Vem e vão meus desejos intensos-velozes, em generosas, transbordantes doses... Pincéis e tintas procuram e desenham caminhos secretos em cores inventadas ao sabor deste bem-querer moreno, enquanto a alma canta árias de sereia, os pensamentos brincalhões me conduzem às nuvens e estrelas, fazendo o dia parecer um fruto maduro e perfumoso, a gotejar seu sumo, no transvazar de sentidos e vontades...

3 comentários:

Anônimo disse...

Procuro-me no desaguar da tua história
Para sentir do amor a cor da eternidade
Deparo-me contigo,efêmera,graciosa e perene
Anunciando ondas de amor convulsivantes,desregradas no desejo
Reconheço-me nas passagens do mar e no ficar das conchas
Compreendo a convergência dos contrastes atraentes
Recluso-me nas brechas do teu calor fremente
E,em pensamento,afogo-me em memórias
Reunião de dores em rasgão
Dentre as passagens,os desejos silenciosamente quentes
Fazem do efêmero,o edificável,
Do gracioso,a conjunção do nada ,
do mais perene ,o encanto do volátil
De tudo, ficam teus desejos inefáveis
Amparados nos espasmos transformáveis

lau disse...

Hum... gostei daqui. Gostei das suas cores e palavras. Aliás, vc usa as palavras como usa as cores. Vc pinta as palavras.
Um beijo!

Décima Musa disse...

Pura volúpia