Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

3 de out de 2016

O tempo é a substância de que sou feito.
O tempo é um rio que me arrasta, mas eu sou o rio;
é um tigre que me despedaça, mas eu sou o tigre;
é um fogo que me consome, mas eu sou o fogo.
Jorge Luís Borges


Um comentário:

Indigo Horizonte disse...

Hay algo en la mirada, en la sonrisa, algo en el azul. Algo en el pincel. Algo en el cuadro. Y en el aire. Hay algo. Por ese algo, volví.

Abrazo.