Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

8 de abr de 2006

Madrugada



MADRUGADA...




Mágica da vida que renasce e floresce a cada instante, imediata ou lentamente após tantas mortificações!... Vida que se faz, desfaz e re-faz em infinitos ciclos de transformações... eternas metamorfoses de almas, sutilmente refletidas no visível... Meta(morte)fases?...
...Dormes, teu sono de Rainha e Anja, de Abelha produtora de mel de amoras & amores... Sono que velo, invocando anjos curadores e pedindo aos Céus que teu repouso seja abençoado, pois que és doce criatura, divinamente criativa, delicada e bela feito flor, mas também forte e plena, permanente e profunda, com tua alma de aço-e-oceano...

O afeto sagrado que sinto desde as profundidades até a superfície da epiderme participa de planos cósmicos muitas vezes incompreensíveis – mas que me encantam e comovem, transportam e transformam, me lançando em mergulhos e vôos aos abismos e labirintos do eu, do tu, reinventando cores, alegrias e laços, provocando lágrimas, angústias e
cristalinos êxtases, causando encontros e colisões entre nossos eus-luz-e-sombra, desvios de rota, cintilações e epifanias!...

...Enquanto velo teu sono de Fada soberana, te amo e clamo mais uma vez aos anjos invocados, solicitando que curem tuas coloridas asas, e então viajo por tempos e lugares, neste ponto crucial de nossas trajetórias e, neste encontro-desencontro abre-se uma fresta e aqui me acho, na primeira noite em que me convidaste a pousar no espaço encantatório
de teu ninho-casulo, onde, crisálida, te preparavas para renascer, majestosamente Borboleta! Das frestas de teu eu lýriko já se
entreviam as asas sedutoras, os mágicos olhares amorosos, femininos, fraternais, amantes-maternais... Pelas janelas entre-abertas de tua alma rara eu avistava luminosidades, raios de doçura, intensas e claras suavidades... Neste trânsito e entrecruzamento de caminhos, de lá para cá, vários vôos compartilhados, muitos pousos e algumas quedas, reciclagens e renascimentos constantes no tecer de nossas rendas...

...Desde aquele dia singular (ao visitar tua casa-oficina-escritório: atelier de sonhos reais) até este instante enluarado, foram tantas e intensas, inumeráveis experiências vividas e vívidas, incontáveis passos no processo de desvendamento de nossos mundos íntimos, chuvas e sóis na permanente re-invenção de nós, que um ano é sentido como uma década plena de acontecimentos ou uma vida completa, compacta, composta de delícias e dores!!!...

...Retomo a direção de mim, e decido embarcar no navio fantástico do sono, velejar na penumbra dos sonhos, te encontrar do outro lado da noite estrelada, onde, talvez, eu possa prosseguir nestas divagações kaminsky-anas, entre lúcidas e ilógicas viagens...

...MORRO DE PAIXÃO E RENASÇO DE AMOR, transformada em rosada-morena AURORA!



Um comentário:

estrangeira disse...

Que coisa mais linda!
Nem da pra comentr,
por medo de quebrar o encanto.
Lindissimo!