Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

10 de jan de 2008

azul-noite

Na madrugada matizada de azuis, suplico aos Céus que semeiem flores-de-luz nos corações humanos, nos recônditos e porões, no âmago e na superfície das almas que habitam o planeta. A noite chove estrelas, silêncio e cor. Calo, e abro as asas.

(Ana Luisa Kaminski)
................

RESTAURAÇÃO

procuro a paz que existe nas palavras
teimosamente
e às vezes é preciso raspar tantas camadas de pinturas sobrepostas
que quase desisto

palavras muito limpas e polidas
costumam cintilar como as estrelas

quem saberá
se existe paz nas estrelas?

(Adelaide Amorim)
..................

TENTANDO UM AZUL

tentar um azul
escoltado por infernais

arriscar uma rota
até as estrelas

quem sabe escapar
à voragem do tempo

e salvar-se da sina
do que é o pó:

ser um assunto
para os desertos

sob o olhar
da eternidade


(Héber Sales)

14 comentários:

livia soares disse...

Querida Ana Luísa,
muito grata pelas visitas tão gentis. Eu admiro cada dia mais este espaço, faz-me muito bem vir aqui. Deixei um prêmio para vc no meu blog.
Um abraço.

Leila Lopes disse...

Analuka,
abriste as asas para estes queridos:
tal qual um lindo sopro azul atingindo nossas estrelas mais distantes.
Que nosso anos seja repleto de asas abertas,
beijão.

héber sales disse...

querida, prazer grande tentar um azul neste teu espaço. agradeço-te pelo convite. um beijo.

Fabrício Brandão disse...

Querida,

Agarrei-me às tuas asas e continuei o vôo com ao auxílio dos olhares de Adelaide e Héber. Escolhas acertadas em poesia azul!

Beijos sempre!

Jacinto dos Santos disse...

Cada vez mais me surpreendo com as palavras. Não que nada do que diz da boca do mundo já não tenha sido dito, mas porque o que se diz é dito na forma, na cor, no sabor, no cheiro de cada um e no particular de cada um. É isto, me enlouqueço nas palavras, mas a lucidez que elas me mantêm, me faço paradoxal: não terei da palavra a palavra, o que tenho é o que sinto.

Beijão.

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Ana. Me sinto em casa aqui hoje. Poxa, nem sei o que dizer: encontro dois amigos, Héber e Adelaide, em ótimos poemas, e tuas imagens, que dispensam comentários! Abraços para ti!

Yuri Assis disse...

azul é o que sinto todo dia de manhã...
acho que é um resquício dessa sua madrugada, ana.
beijos querida!

Edna Battaglini disse...

Olá Ana

Gostei muito de poder compartilhar do seu "azul" - das suas suplicas em especial - desejando sementes de luz a todos nós...consegui sentir as gotas orvalhadas dessa chuva de estrelas, coloridas,silenciosas... e muito agradeço por nos brindar de cores e sensações tão peculiares.

Aprecie os versos de Adelaide Amorim, com "Restauração" e tb me pergunto: existe paz nas estrelas?
sim...acho que sim
Encantamento igual tive ao ler Heber Sales, arriscando essa inusitada "viagem estrelar"
Aproveito para tecer elogios a sua bela tela,um presente visual, moldando tão belas letras.
abraços e obrigada

Samsara Bodhanam disse...

Lindo, belo, mostra de bom gosto com esta linda imagem que dar o tom exato de sua essência...

Bjs poéticos...

Samsara Bodhanam

F. Reoli disse...

A paz sepre invade os meus sentidos quando adentro em teus portais... beijos!

JuanBM disse...

Hola Ana Luisa
Tu azul hace sentir libertad, horizontes, inmensidades unidas a la concreción de un retrato, de un pequeño mundo, microcosmos que es una persona.

Y como siempre disfruto de tus cuadros.

Saludos

adelaide amorim disse...

Ana, você não imagina como está difícil postar e comentar aqui de S. Pedro, com a conexão discada e instável demais.
Obrigada por me trazer pra cá, morando no azul...
Um beijo grande e até breve.

Lu disse...

Olá moça.
Agradeço a passagem pelo Sincronicidade.
Estou vendo que conhece a Dade, o que é um excelente cartão de visita.
No momento encontro-me em Floripa, pagando antigas dívidas a mim mesma... Desterro é um lugar importante para mim.
Abraços,

Joan Pinardell disse...

Unnnn, querida Ana, azul es un color que me apasiona... no si si por el mar o por el cielo... o por ambas cosas... es tan sutil...
besos