Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

21 de nov de 2011

Pequenos vôos musicais azulados...

Prelúdio

Às vezes, o silêncio prenuncia
Suavidades ou fúrias, entropias,
Mudanças de ritmo ou de rota,
Transfigurações, sensações, sinfonias...

Às vezes, o silêncio adivinha
Novos movimentos, encantos ou vozes,
Reafinação do caos, do corpo, da alma,
Reconfigurações no cosmos, arroubos velozes...

Às vezes, o silêncio pressagia
Eclipses solares, chuvas, semeaduras,
Pinceladas divinas num jardim lilás,
Manhãs iluminadas ou noites muito escuras...

Às vezes, o silêncio precede
Rufar de asas, árias de sereias,
Nascimentos lunares, sons de alaúde,
Danças no mar-cobalto, bailados nas areias...

Às vezes, o silêncio anuncia
Encontros musicais, finais, vitais,
Outros vôos e ventos, reuniões ou rompimentos,
No túnel do tempo sem fim, viagens e espirais...

(Ana Luisa Kaminski)

***





*IMAGENS: "Pequeno Vôo Musical Azul" . Pintura de Ana Luisa Kaminski

***

4 comentários:

Índigo disse...

Tus azules y tus vuelos, preludios de silencios y sonidos alados... a veces anuncian, presagian, adivinan, preceden canciones, risas, emociones, lloros, en el canto espiral de la vida.

Arnoldo Pimentel disse...

Lindo e profundo.Beijos

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Bonita imagem que o seu poema cria, Ana. O silêncio me surge, depois da leitura, como uma esquina que se aproxima, um horizonte que entretanto d'obra.

Estou adicionando o seu blog à minha lista.

Abraços

Helena Castelli disse...

Texto tão bonito quanto você... você e a poesia se confundem... grata pela (p)arte que me t(r)oca... parto enriquecida...

Beijos de boa noite.