Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

17 de dez de 2006

alma cristalina

Numa noite de chuva, num dia de verão, re-descubro-me, colorida, vibrante e cristalina...

4 comentários:

Leila Lopes disse...

Sempre assim, uma volta pra casa e um encontro belo com nossa própria alma.
Bjo

mario cezar disse...

deixo um abraço. até arder

Rodrigo de Souza Leão disse...

Muito obrigado pela visita ao meu blogue. Vim conhecer o seu e gostei muito. Muito obrigado e um abração.

adelaide amorim disse...

Entre as muitas maneiras de lidar com as palavras e a linguagem, a gente pode identificar como o autor vê a vida, o mundo e a natureza, as outras pessoas. O mundo precisa de quem saiba ver e possa falar do que a vida tem de poesia. Do melhor da vida. Um beijo, Luísa.