Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

27 de ago de 2007

Caleidoscópio azulado


I

Olhares
distraídos
esgarçados
flutuantes
e etéreos
aprofundam
aberturas
de abismos
e mistérios
perscrutando
invisíveis
labirintos
e avessos
gris-lilases...

II

Pensamentos
poli-alados
penetrantes
esvoaçam
entre achados
e perdidos
poliedros
da memória
refletindo
mil matizes
e centelhas
azuladas
no mosaico
espelhado
(jamais raso)
do olhar...

III

Borboletas
bailarinas
fulgurantes
e fugazes(?)
celebrando
os sentidos
do eterno
escondidos
nas fissuras
da intrigante
e transitória
morte-vida
tão volátil,
nunca vã...

Imagem: "Cabeça Azul". Pintura de Ana Luisa Kaminski

22 comentários:

g.a. disse...

Ana L.,
o tempo de introspecção é o tempo do reencontro. Pode ser a percepção de que há portas pedindo para serem abertas,pode ser o definitivo abandono de porões antigos.
Descer a si pode ser perder-se no não- encontro, mas pode ser também, e quase sempre o é,a possibilidade do equilíbrio por entre o que se pensava não mais nos pertencer( e só nos pertence o eu que já fomos;os outros que não somos nós é nosso estranho estrangeiro e não nos dizem respeito).
A nossa vida é feita de Sim, costumeiramente seguido de Mas e seus difíceis penhascos. É nos penhascos que nos seguramos.

O silêncio é também um diálogo e um tempo grávido de acontecimentos, mesmo que seja tão diafanamente pólen.
beijos
G.

Lu Anna disse...

Abrindo a janela-olhar para viajar na alma, redescobrindo as cores das memórias, celebrando o movimento da Vida...
tua poesia é algo que cintila as palavras de forma verdadeira e cheia de sensibilidade

beijos
continue com a Arte-Encantada das cores

Leila Lopes disse...

Feitas de olhares perdidos, pensamentos mutantes, tentando a profundidade no poço da mente. Querida, somos assim, nunca de vidas vãs.
Beijão.

Ana disse...

Analuka, escolhi minha pintura para o book! É essa!

Dá tempo de mandar, ainda?

Big colorest kisses!

verabasile disse...

Ana!!!
Essa sua pintura diz tanta coisa, que é difícil demais sair daqui.
Sua poesia é belíssima!
mil bjs

héber sales disse...

o que tem no azul
que o faz tão aéreo?
que o aproxima
da tristeza
mas também da paz?
que qualidade ele tem
para ser tão caleidoscópico
em sua existência de signo?
me diga você,
sempre tão próxima a ele,
querida.
beijos grande

Lady Vania de Tróia disse...

Ana Luisa,
Entre olhares,pensamentos e Borboletas azuis,me perco e me encontro nesse paraiso encantado de letras,formas e cores tão bem elaboradas,que se pensa possuir o infinito na palma da mão e o céu numa flor selvagem.
Parabéns,sempre!!!
beijos alados e azuis,minha Dama do Sótão.

F. Reoli disse...

Beijo, alma sensível

Sérgio Luyz Rocha disse...

Devo confessar que as duas últimas semanas têm sido especialmente iluminadas.Descobrir pessoas tão leves e sinceras como você é muito inspirador.
Sobre o que acabei de ver e ler: silêncio e reflexão...lindo!!!
Posso reproduzir tudo e sair colando nas paredes aqui de casa????
BJS!!

Analuka disse...

Palavras-pólen recebidas de Cássio Amaral, nesta tarde de chuva:

"Olhar além dos olhos é missão da nossa passagem. E ver a alma das coisas. Mudar, mudar sempre. E amar pra transformar."

Maria disse...

Nossa...Que linda pintura, que bela imagem dos vôos da alma !!! É sempre muito confortante ancorar por aqui !!! Beijos

Everaldo Ygor disse...

Belo Blog
Belas cores
Sensivel Ser...
Em beijo!
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Fabrício Brandão disse...

Gosto muito de vir aqui e me deparar com tuas palavras sensoriais. Aprecio essa tua imensa capacidade de transformar os signos em palavras tão nossas.

Beijos, querida!

Mariane Monteiro disse...

olhares olhares
que me prendem a atenção.

abraço.

valter ferraz disse...

Analuka, vim aqui para retribuir a visita ao perplexoinside. Aproveitei para passear pelo jardim azul. Ficamos encantados eu e Aninha, minha esposa. Coisa linda de se ver, menina.
Parabéns.
Voltarei sempre.
Um abraço grande

Rosa disse...

Ana, que lindas palavras coloridas!
você tem o dom da criação nas mãso, e o usa muito bem.
beijos!

Luciana Marinho disse...

"mosaico
espelhado
(jamais raso)
do olhar"

sempre suas palavras estelares
iluminando nosso "olhar para além"
e nosso encontro com nós mesmos
multiplicados.

beijos!

Ricardo Rayol disse...

Oi Ana, vi teu poema e teu comentário no Coletânea Artesanal. Escreveu um belissimo texto. Gostei do caleidoscópio, principalmente o terceiro, fugazes são as borboletas.

Ps: Somos vizinhos.

Lunna disse...

Meu silencio causa-me está inquietação diante de tuas palavras. Um sorriso que vai e vem nos lábios e o olhar que não sabe se vê o que és ou o que ele cria a partir de ti.
Beijos meus

Lis disse...

obrigada pela oportunidade
de participar da beleza que
há nas diversas dimensões de vida ,expressas através
de você.

lau siqueira disse...

Quanta expressividade nestes olhares, meu anjo querido.
Um beijo!

Mephisto, ein Teufel mit einen Zauberflöte disse...

Ana, fada, mística, utópica, suas palavras que cativam e cavam, cavam em nossas mentes e memórias doces fendas, prontas para receberem a fecunda semente dos sonhos e das alegrias, que mesmo tão almejadas se distanciam, sua pintura etérea transcende os limite do olhar e nos faz mais, nos leva ao além, de um além inconstante e instável, gostei muito do seu blog e pode contar comigo para vir aqui e espalhar o pólen responsável por incentivar tanta inspiração e introspecção. Sinta-se convidada a visitar-me e quiçá deixar lá o pólen da esperança ou dos sonhos utópicos... uma ótima semana