Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

7 de nov de 2007

Orquidário do Olhar


Acontece que ela vivia às voltas com olhar porque via e recriava tudo que se apresentava aos seus olhos e aos seus sonhos. Ela materializava as asas, borboletas, orquídeas, almas que a faziam viver no limiar entre realidade e sonho, por isso, aos olhos dela o mundo era uma imensa aquarela imprescindível de pincel, cores, sons, vida-sonho, sendo esse o seu destino: pôr cor em tudo o que via, tocava, imaginava. Alar seres terrenos, abrir gaiolas, desencaixotar a luz.

Sabedora de seu dom, ela matizava sutilmente as asas de cada sonho e em cada vôo-olhar-aquarela deixava um portal mágico no qual só se entrava um de cada vez: cada ser voava e via asas, orquídeas, azul-lilás-róseo com a cor do sonho que carregava em si, desde sempre, desde que aprendeu a sonhar e desde que se esqueceu de como se sonha. E o portal se abre repleto de imagens que esvoaçam, fragmentam-se e se despedaçam ao olhar atônito de quem até então sentiu, mas não viu o portal aquém do sonho.

E porque anaquarela o olhar, ela oferece um pórtico mágico sutil e aprisionador. Alguns seres nem tão desavisados assim, adentram no mundo anaquarelado e vêem olhos tristes, ainda que cheios de sonhos...

Texto: Glória Azevedo
Imagem: Ana Luisa pintando azuis...

23 comentários:

O Profeta disse...

Alva pena transporta as mágoas
Rasga as águas e desalinho
Grito de gaivota, dança de amor
Penas choradas em tom baixinho


Boa semana


Mágico beijo

Lady Vania de Tróia disse...

Ana Luz,Aquarela viva....

Bom � ser agraciada nesta tarde que parece toda aquarela,visto pelo angulo de teu olhar m�gico e perspicaz ao lan�ar esse fragmento qu�ntico e insofismavelmente brilhante.
beijos alados e azuis.

célia musilli disse...

Lindo texto e muito compatível com este seu espaço delicado.. Um beijo

Leila Lopes disse...

As cores mais suaves do tempo são reveladas nesta aquarela, através dos olhos que carregam, sim, tristezas, mas belezas do mundo que nem todos podem alcançar.

bjs meus.

Fabrício Brandão disse...

Glória descreveu com maestria uma das definições possíveis para a nossa querida Ana Luka. As palavras aqui não permitem a construção de um lugar comum, palco do óbvio quando o assunto é falar do outro. Pelo contrário, as linhas alçaram vôos e foram percorrer os trajetos que a arte costuma trilhar na obra da sensível artista.

Que belo, Ana, esses caminhos de beleza traduzem fielmente a sua arte!

Beijos do seu sempre admirador!!

livia soares disse...

Ainda bem que este orquidário existe...
Um abraço.

héber sales disse...

eu também gosto de pensar
nesse doce delírio de orquídeas.
e como é legal essa troca, não é Ana? entre as palavras e as imagens.
eu gosto muito.
beijos

verabasile disse...

Adorei o texto da Glória, descreveu exatamente o que vc c sua arte nos passa.
Um Beijão pras duas!!!

Yuri Assis disse...

ah
eu não acho triste nem melancólico
esse seu universo hiperfeminino.
eu vejo um espelho de minha alma.
me sinto tão sereno aqui.
acho que é isso que vejo pelo portal mágico.

bjos querida!

Ch disse...

Saudando a amiga Ana, o texto se arrima numa valiosa premissa chamada merecimento.
Ela merece essas palavras, esse testemunho, por ser uma presença sensível e acolhedora em relação aos amigos.
E vem a Arte, complemento da vida, do sonho. Arte que é puro desvelo e sensibilidade. E que não se pode dissociar desta figura especial que é Ana Luísa.
Abraços, amiga.
Carlos

gloria azevedo disse...

bela, bela , bela bela! Tenho tudo quanto eu quero?( plagiando Manuel Bandeira)
hum.. Seu orquidário é um presente para mim..
obrigada, Ana orquidal

Vera Iana disse...

Eu escrevo paisagens
que gostaria de estar,
paisagens que gostaria de lembrar.
cenas que gostaria de assistir
e de fazer parte.
Correr na sua tela é uma delas.

Beijos!

lapa disse...

gosto do seu estilo

adelaide amorim disse...

Então está formada a Sociedade dos Poetas Alados, da qual você é a responsável e mais querida representante :) Um grande beijo por tanta doçura.

maat disse...

Tão belo!

Amei de paixão.

***maat

F. Reoli disse...

Gosto desse lugar especial... de verdade! beijos

Maria disse...

caríssima,
sempre é encantador vir aqui. entre âncoras e asas, sempre belas flores e infinitas cores. beijos e beijos pra vc !!!

Anônimo disse...

Ana Luisa , não poderia ser de forma diferente, sua pintura reflete a alma de uma borboleta, ao beijar docemente as pétalas de uma flor ! abismos azuis ! noite de luar...doces beija-flores que encantam a sua flor.


**Luz azul**

Anônimo disse...

Ana Luisa , não poderia ser de forma diferente, sua pintura reflete a alma de uma borboleta, ao beijar docemente as pétalas de uma flor ! abismos azuis ! noite de luar...doces beija-flores que encantam a sua flor.


**Luz azul**

Yuri Assis disse...

agora lembro porque te perguntei se você conhecia bjork.
é que tem um cd dela chamado vespertine, um cd que varia entre o cinza e o azul - e uma ligeira pitada de cor carnal.
teu mundo, na minha opinião, é tão afim com o mundo de vespertine. em vespertine, tuas cores acham lugar certo.

bjos querida!
P.S.: se você se interessar, tem um link do lado direito do meu blog que encaminha pra página de vespertine no site de bjork. (:

Elson Teixeira Cardoso disse...

Ana Luisa:

Suas mãos eram paletas; seus olhos, matizes variados. Vivia entre flor e menina, entre perfumes e belezas.

Traduzia nas telas brancas, as imagens de sonhos que tinham sido,
as imagens de sonhos que ainda não haviam chegado.

Pintou um jardim infinito, orquidário de palavras borbulhantes, que todas as tardes recebia uma chuva sensível de sonhos azuis.

*Luz do Luar * disse...

Bom Dia ! Luisa ,

Entrei para colorir minha alma , através de você .
Beijos

Joan Pinardell disse...

ja, me llego al corazón la foto también... pintando Ana...ja... maravilloso tu espacio... y tu obra... si...