Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

11 de mar de 2011

Solfejos, sonhos, ressonâncias...


SOLFEJAR

‎...E os sonhos passearam por aqui, deixando ressonâncias e poeiras de amores sobre o piano... luzes banhando retalhos do tempo, partituras de memórias...solfejos de lembranças... suavidades, sôpros, pulsações... (ALK)



PARTITURAS

Partículas de sonho, amor e luz
pousam sobre o piano nu
poeiras de estrelas, pulsações e sons
vagueiam pelo ar no eco dos instantes
flores fluidas, melodiosas, fulgurantes
flutuam nos pensamentos leves e alados
dançam e ressoam as partituras translúcidas
na pele, na memória, no veludo desenhados
voluptuosos versos, voláteis e errantes
na inebriante poesia e ânsia do infinito
...


(Ana Luisa Kaminski)

Les particules de rêves , d 'Amour et de lumière
déposent sur le piano nu
des poussières d'étoiles,
pulsions et sons dérivent dans l'air du moment
fleurs fluides, mélodieuses, flamboyantes
flottent dans les pensées, légères et ailées,
dansent et résonnent,translucides....
sur la peau, dans la mémoire ,
le velours conçu.........
vers voluptueux, volatiles et errants,
dans la poésie enivrante et nostalgie de l'INFINI......


(Tradução de Alda Lopes)




SURDINA

Quem toca piano sobre a chuva,
na tarde turva e despovoada?
De que antiga, límpida música
recebo a lembrança apagada?

Minha vida, numa poltrona
jaz diante da janela aberta.
Vejo árvores, nuvens, - é a longa
rota do tempo, descoberta.

Entre os meus olhos descansados
e os meus descansados ouvidos,
alguém colhe com dedos calmos
ramos de som,descoloridos.

A chuva interfere na música.
Tocam tão longe! O turvo dia
mistura piano, árvore, nuvens,
séculos de melancolia...


(Cecília Meireles)
In Flor de Poemas, 1972


ERRÂNCIAS E RESSONÂNCIAS

Da misteriosa trajetória vital, o que perdura?...
Partituras do amor, diagramas da dor, filigranas de alegria... registros de saberes, restos de memórias, poeiras de poesia...rastros de sentires, fragmentos das jornadas, farelos de histórias... sôpros de sonhos, sementes de desejos, palimpsestos de paixões... cicatrizes de conquistas, reflexos de segredos, lampejos de emoções, colapsos e vitórias... partículas de prazer, leves lembranças de luz, ecos de violões... traços de terror, marcas da coragem e estilhaços dos medos... vestígios de aventuras e vôos,ressonâncias de pianos, resquícios de passaredos...
.


(Ana Luisa Kaminski, março/2011)


me queimar em água
a espalhar nas veias
até o mar de fogo
de onde veio
essa dor
essa luz
esse ser
que não passa
de um meio


Alice Ruiz

16 comentários:

Índigo disse...

Preciosas las fotos y su hálito. Precioso el inciso inicial. Linda poesía la tuya, llena de sonidos, lluvias, gotas y el poema final de Cecilia... y la suavidad y la lluvia me llegan desde varios ángulos. Un abrazo añil para ti.

Maü Cardoso disse...

Querida Analuka...
Lindas memórias e lembraças.
Musicas que ficaram, para sempre,
gravadas na alma de seu piano.
Piano lindo, que não tem
tempo e que não tem limites para
lembrar o amor.
Lindos textos...
Um beijo grande,
Maü Cardoso.

Rita Rosa disse...

As fotos dizem muito.... as plavras se perdem nas teclas gastas do piano para ressoar a mais linda música da memória.
Bjs querida!

Graça Carpes disse...

"Quem toca piano sobre a chuva... ?"
R: Almas em transparente sensibiliade.

♬♫♪ Lindo e sonoro tudo... Aqui.
Bjs e obrigada por... "Pulsar".
:)

SKIZO disse...

Fabuloso
boas criações

Luciana Marinho disse...

imagens que respiram o tempo e o nosso sentimento de impermanência. sugestão de música, de vento, de luz infiltrando na madeira, na parede, em nossa ausência tão presente que quase é movimento sutil por entre os móveis.

tudo muito lindo
e fora do tempo mesmo impregnado dele.

beijinho, luz.

Carmen Garrez disse...

Querida,tudo que dizes soa em mim profundamente como algo vivido e muito conhecido,as partituras, os solfejos, as notas,as teclas... do acordeon. Instrumento não tão glamouroso e nem esteticamente belo como o piano, mas o único que tinhamos acesso em minha pequenina cidade do nosso querido Rio Grande do Sul. Você é uma artista completa, um luminoso ser em viagem planetária para transmitir conhecimento e arte, poesia, música, pintura , amor e luz com sua docura e serenidade !
Fico feliz que nossas vibrações foram compatíveis e nos encontramos nesse plano.
Desejo que exista sempre em seu coração a felicidade de um amor tranquilo.
Um amoroso abraço, grande artista e amiga Ana Luisa Kaminski.

carmen silvia presotto disse...

Que lindo teu trabalho Ana, obrigada pelo convite para estar aqui degustando de tua Arte.

Um abraço carinhoso, bom domingo e seguimos.

Carmen Silvia Presotto

Cristina disse...

Ana, seu Blog é um sonho em tons de azul. Abraço grande!♫♥

Vera Basile disse...

Tudo muito lindo imagens e palavras!
Bjs

romério rômulo disse...

caminhei por aqui, ana.
gosto das âncoras e das asas.
romério

Ribeiro Halves disse...

Um piano em silêncio, imóvel partitura, a sala vazio... mas, em tudo a memória retoma: os sons, os cheiros até os sabores.
Então, não mais silêncio, imobilidade, vazio... mas o ouniversos povoado (e atualizado) pela memória, novamente vivivo, vívido e vivo.
Sofejos e sonhso.

Anônimo disse...

Dear Ana,
You paintings are beautiful!
You poetry is very nice too!
Thank you for invitation!
Best regards, Irena S.

dade amorim disse...

Piano é um instrumento maravilhoso. Além da delícia que é ouvir seu som, ainda decora qualquer ambiente de um jeitinho inigualável. Além, é claro de inspirar textos musicais e embaladores como esses teus.
Adorei o post.

Beijo beijo pra você

alexandre delsin disse...

tenho um piano sofredor... ele já esteve muito dentro de mim... não está mais... Hoje, pequenas peças de porcelana e retratos sustentam o peso dessa gravidade inerte...
Lindo blog!
Convite: www.alexdelsin.blogspot.com

AC disse...

Ana Luísa,
Detive-me apenas no seu Partituras, pois há viagens que prescindem de partilhas. Há tanto nessas suas palavras que quase parecem um manifesto. Ou são. E quão belo e natural ele é!

Beijo :)