Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

20 de jan de 2006

Cintilações






O instante que cintila
e tão rápido
se esvai
Está, no entanto, preso
no fundo de si mesmo
numa gaveta escura...



(Formigas frenéticas ultrapassam a fossa
idéias-larvais vazam pela fenda
vermes viscosos criam asas...)

No instante que cintila
e tão rápido
se esvai
Esconde-se a relíquia
no fundo de nós mesmos
num ponto pré e pós-iluminado.

(Vespas e vagalumes atravessam a fresta
idéias-crisálidas arranham suas cascas
casulos e crostas explodem-se em cacos
e delirantes deslizam, dançam e emergem...)

No instante que cintila
e tão rápido
se esvai
Abrem-se as gavetas
cintilam borboletas
transpondo as rachaduras
nas profundezas escuras
dos doidos abismos do eu...

Nenhum comentário: