Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

19 de jan de 2006

Oníricos Olhares












De dentro de um sonho,
espia a borboleta
da concha-casulo
e prepara suas asas, seus olhos e ocelos
para o vôo primeiro...

Entre cores e contrastes,
onde está a fresta?...

Olha a borboleta
De olhos-ovos oníricos
(sem saber da esquize
ou da pulsão escópica)...

Salta no abismo
arranha o espaço
abre uma fenda
no imaginário

E desperta.


Ananônimazul.

Um comentário:

Sr do Vale disse...

não li nada, só anonimazul.
Mas nunca entrei num blog, que tenha ficado tão vislumbrado.

tanto durante o dia, como de noite.