Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

31 de jan de 2007

suturas...


Às vezes, o silêncio
abunda, confunde, afunda
sufoca, sacode, suspira
envolve, escava, evoca...
Às vezes, o silêncio
agride, assalta, ataca
respira, assusta, soluça
instiga, castiga, inspira...
Às vezes, o silêncio
desmonta, remonta, modela
desarma, desperta, deflagra
acode, comove, constrange...
Às vezes, o silêncio
caduca, caleja, conspira
atiça, açoita, acossa
embota, estorva, estilhaça;;;
Às vezes, o silêncio
clareia, renova, costura
incendeia, ensandece, ensina
Às vezes, o silêncio
simplesmente sutura

cura, canta e dança...

2 comentários:

Lu Marinho disse...

!]
folha despaginando
o escrito na palma da mão
[!
o silêncio
[!]



pupilas de ana
azulando tudo


!beijos!

cássio amaral disse...

O silêncio é tudo e tenho estado em silêncio, me desacelerando.
Uns tempos atrás rabisquei um haicai assim:
tantas vozes
não dizem
o melhor do silêncio.
Teu blog tá bacana amiga.
Beijos e ótimo fim de semana.