Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

3 de jul de 2008

Intervalos



Pinga sobre o papel uma gôta do tinto que bebo tentando atenuar a tristeza... mancha e colore a página, onde traduzo emoções, e vai tingindo, também, pensares, sonhos, sentires... Penso sobre as almas humanas, inquietas. As almas humanas sedentas e desejantes, sensíveis e insensíveis, alopradas. As almas alucinadas, as almas iluminadas... e onde está o intervalo, o interstício invisível entre desejo e medo, azul e alizarin, entre pleno e vazio de sentido?... Suave e sutil diferença, desvão, entre epifania e delírio, alucinação e visão...Contraste crucial entre agonia e gôzo! Entre loucura e lucidez, onde está o limite, e qual será o limiar da paixão, no apetite vital que nos move?... Onde, o segredo da luz?...


Imagem: Pintura "Violinos Oníricos", de Ana Luisa Kaminski

8 comentários:

adelaide amorim disse...

Analuka, tenho andado tão sem tempo de ver e rever os amigos! Saudade de você e desse ambiente onírico que você mantém no Ânkoras & Asas.
Beijos carinhosos.

Sérgio Luyz Rocha disse...

Ana...saudade daqui...pois é, acho que a busca deste limite é que nos faz seres criadores, acho mesmo que a pergunta, em si, já é uma espécie de limite, sem respostas a gente pára e fica se equilabrando ou resolve apostar e se deixa cair...
Gostei da tonalidade e dos elementos da sua pintura...aliás, adoro teu traço...diz uma coisa posso escrever sobre uma tela sua?
Fique bem...
Bjs!!!

jalves disse...

A luz,é o suor do tempo esperando o momento ao relento de todos nós.

Abraço deste lado do mar.

jalves

Sr do Vale disse...

Fada não pode ficar triste, sua pintura vai além deste mundo, muito, mais muito além.


Sei que se o som de um solo de guitarra, tocada por mestres, partem o corpo.
O som do violino, racha a alma.

Abraços.

líria porto disse...

taí - que invejo quem tem talento com os pincéis! mui belo!

Jacinta Dantas disse...

Com que facilidade você vai pintando as letras com esse tinto, que, naturalmente vai caindo sobre o papel, fazendo tênue todas as linhas que se colocam na contradição dos sentimentos.
Beijos

Fabrício Brandão disse...

Segredos de luz jamais podem ser decifrados a olho nu. Resta-nos, então, andanças embebidas nas alamedas misteriosas da alma.

Beijos, querida!

Liah in Casulo disse...

Analuka, Fada da Luz...

...E dentro da bruma voam borboletas multicores.

dentro do a(amar), voce!

Celebro-te.