Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

27 de jun de 2007

Oníricos olhares


Olhos de sonho, frestas, limiares?
Entre o real e a invenção, está o que vemos, o que nos olha, aquilo que capturamos ou o que nos captura? Ao capturar, aprisionamos, ou, inventando, liberamos?... O capturado é fugidio, o inventado foge e flui, por entre as malhas matizadas das letras, dos pensamentos, das emoções etéreas... Quando os limites se transformam em limiares, a mágica acontece: aparição dos portais!... para todos os possíveis... aquém e além do explicável , do lógico, do razoável... Viver no entre-lugar periclitante: eternamente em transe, em trânsito, os vórtices em movimento , as espirais do eu... Mas, quem ousa mergulhar, acaba enredado, parece que se perde em labirintos?... Ou, talvez, acaba se encontrando, entregando-se ao azul obtuso, liberado no espaço-tempo eternizado de um instante alado?... A tristeza nos olhos... abismo azulado: reflexo visto pela alma que olha? A luz cintilará, contudo, caso o salto aconteça... se as asas superarem o medo... do mar, do céu, da imensidão...

*Imagem: "Asas Azuis". Pintura de Ana Luisa Kaminski
(em processo)

11 comentários:

Leila Lopes disse...

Sempre em mente-alta o desejo de abrir portais, atravessar o campo com paqciência... que a mágica nos leve sempre, querida.

Luciana Marinho disse...

aparição dos portais!... para todos os possíveis...

venho aqui e fico sob
uma coberta azul.

beijos para anablue!

Anônimo disse...

Sempre que leio a Ana Luisa,ou vejo alguma pintura dela,é como se uma cortina de seda azul,abrisse os portais de minha alma para eu cair num abismo celestial de constelações azuis.
O medo....do mar,do céu,da imensidão.Não existem mais.Só Azul.
beijos alados da Lady Vania.

Samsara Bodhanam disse...

Belo poema! Divino! Viver imerso ao provável improvável dos nossos cinco sentidos, as nossas janelas tão enganadoras. Libertar-se é ir além do lugar-comum, de um equilíbrio equivocado aos olhos limitados e quase míopes de um paradoxo inevitável...
Adorei...
Bjs poéticos...
Samsara

Fabrício Brandão disse...

Querida,

Belo texto! A parte final dele me lembra uma frase de Damário da Cruz, onde ele diz que há tristeza quando não vamos aos lugares que desejamos por medo dos caminhos. É curioso como isso nos assombra sempre, não é? Tomar decisões é mais difícil do que executá-las. Eita, mundo velho cheio de lembranças cortantes!!

Beijos, querida!

Concha Rousia disse...

O que vemos... o que nos vê...
o que capturamos se convir-te em nós... ficamos assim feitos de essas prendas que guardamos em nosso interior...
Teu texto, belo e suave, me fez lembrar algo que eu falei com a rosa hoje de manhã no meu jardim...

"NINGUÉM SABE DO OLHAR DA ROSA
QUANDO HOJE ME MIROU DE MANHÃ
PERCEBI QUE ERA EU QUEM NÃO VIA”

Concha Rousia

Adoreo essa imagem

adelaide amorim disse...

Ana querida, se surgir a oportunidade que espero, não perco sua exposição aí em Curitiba. Deixei seu azul convite lá no Umbigo do sonho
www.meublog.net/adelaideamorim
que também é azul e é o blog onde "faço o social"... Espero que tudo esteja correndo muito bem, como você merece. Um beijo grande e sucesso.

Lunna disse...

acho que hoje eu prefiro o silencio que arde menos e tumultua mais. Suas palavras encontram eco na minha alma que está inquieta hoje.
Vou-me em busca de um vento.
Abraços

Héber Sales disse...

e eu fiquei aqui pensando
se à mente é possível viver
fora da linguagem (e quanto)

beijos, embaixatriz do azul

Eliana de Faro Valença disse...

Ana minha querida poeta das telas encantadas...
ainda que não escrevesse...tua pintura por si só...
já diria tudo...
Está contida nelas os versos que flutuam em tua essência
É uma emoção linda...sempre que passo por aqui...
"Oníricos olhares" que beleza minha amiga querida...
PARABÉNS LINDA POETA te admiro cada vez mais

Beijinhos estrelinhas cintilando carinho pra te deixar feliz

André L. Soares disse...

Boa tarde! Excelente texto. Aliás, não apenas esse. O blog todo é de muito bom gosto e os textos são ótimos. Eu cheguei até aqui através de seu comentário no blog da poetisa Rita Costa. Por enquanto li somente os cinco últimos, como faço sempre na primeira vez que visito um blog. Excelentes mesmo! Depois voltarei para ler mais. Estou dando um ‘passeio geral’ pelos blogs relacionados à literatura, principalmente poesia e prosa. Gostei muito do seu blog. Vou adicioná-lo ao meu blog, bem como favoritá-lo no ‘blogblogs’, para que possa visitá-lo mais vezes. Quando puder, visite também meu blog, no endereço: [ http://poemasdeandreluis.blogspot.com ]. Sinta-se à vontade... a casa é sua,... e, gostando,... por favor, também adicione meu blog e ao seu ‘blogblogs’, ‘techinorati’ etc. Vamos tentar ampliar a rede de intercâmbio artístico-cultural, influenciando-nos e aprendendo mutuamente. Grande abraço!