Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

16 de fev de 2007

fadas & feiticeiras

Algumas fadas-fiandeiras tecem véus, sonhos e asas
Enquanto feiticeiras urdem pesadelos
Algumas fadas-feiticeiras pintam flores, paraísos
Enquanto feiticeiras-bruxas despetalam, dissimulam
Algumas fadas fiam luzes azuladas, névoas
Enquanto feiticeiras mancham com fuligens, esfumaçam
Algumas feiticeiras-fadas luzem seus sorrisos
Enquanto bruxas-disfarçadas riem com sarcasmo
Algumas fadas-encantadas bordam borboletas
Enquanto serpentes-feiticeiras armam botes
Algumas fadas-moças parecem ser ingênuas
Enquanto feiticeiras-mascaradas fingem inocência
Algumas fadas-frágeis firmam-se em estrelas
Enquanto feiticeiras-fortes perdem-se em abismos
Algumas fadas-luas lançam mel e poesia
Enquanto feiticeiras-sombras semeiam amarguras
Algumas feiticeiras-fadas cantam afinadas
Enquanto bruxas-feiticeiras dançam desgrenhadas
Algumas fadas criam céus e fantasias
Enquanto bruxas montam alçapões e labirintos
Algumas fadas-magas adornam e embelezam
Enquanto magas-bruxas ocultam suas verrugas
Algumas feiticeiras inventam seus encantos
Enquanto peçonhentas bruxas compõem suas poções
Algumas fadas buscam cor e néctar nas corolas
Enquanto feiticeiras remexem caldeirões
E, entre tantos movimentos e magias,
O tempo-tecelão entrança, emaranha e recorta
Cerze, alinhava, remenda e costura
Desfia, enlaça, borda e desembaraça
Fios e linhas de almas e vidas enoveladas....

4 comentários:

célia musilli disse...

vim visitar seu espaço de mil e um talentos. fiquei pensando que tipo de fada-feiticeira eu sou.talvez a que fie nuvens e fantasias, até me perder dentro delas. já faz tempo que passei pelo sopro da realidade, para não doer tanto me refuguei nos sonhos e sempre gosto de encontrar pessoas como vc, que sentem como eu. somos uma constelação de fiandeiras e, volta e meia, nossos tecidos se enlinham..rss.inevitável.
um beijo. vou te linkar, oK ? fica mais fácil pra fazer visitas..rs até breve.

Ro disse...

vento...
...um grão de pólen, ao vento, à procura de caminhos floridos

Esta também sou EU
Beijos

Soluz disse...

.'.

Ana,

O que falar quando as palavras não vêm? Acho que deixarei a cargo do tempo tecelão a possibilidade dele me trazer as palavras que estejam em nível de falar como é a beleza que está nessa grande artista.

Beijos!

'.'

cássio amaral disse...

Ana,
Muito bom teu poema.
Cara, eu namorei um bruxa(do bem), que é dançarina intuitiva e cigana. Faz mandalas loucas...
Floripa é terra de bruxas não?
Tive um contato com uma daí, um poeta em 2001. Tentei o contato e o perdi. Aline Fonseca.
Tinha um poema bacana, assim:
Nós estúpidos contemplamos
Milhões de estrelas que já morreram
Elas são como qualquer ilusão
E contemplá-las é como ver o passado.
Os motivos que me fazem escrever
Fatos, ilusões, devaneios...
Isto tu nunca saberás
No momento que a pena tocou o papel
Este foi breve
Breve, como viver.
Beijo.