Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

25 de abr de 2007

Asas e censuras...


...Poderias, porventura, me recriminar
pela profundidade da ternura
que palpita em ondas de saudade insistente?...

...E, acaso, deverias me acusar
pela plenitude da entrega, inteira,
por ofertar a ti meu coração, sem reservas?...

...Poderias, será, me censurar
pela completa e integral confiança
depositada em ti, alma amada, alada e aflita?...

...Poderia eu te repreender, amor,
por teres te atrevido a voar mais longe
mais livre e desejante de aventuras?...


...Deveria eu te criticar, meu bem,
pela intensidade móvel e complexa
dos coloridos entrelaçamentos de amores?...

...Poderia eu reclamar, minha doçura,
de tuas asperezas e ausências, apenas
porque prefiro doçura e aconchego constantes?...

...Deveríamos nós desistir, acaso,
de acreditar ou de insistir no possível
dos afetos, dos sonhos, das asas
e nos arrepender do vôo encantado?...

...Ou, simplesmente, vibrar e celebrar
as lembranças mais doces, memórias
dos olhares cintilantes e assombros
do prazer de habitar, por um tempo
mundos e jardins azuis compartilhados?...

13 comentários:

Luciana Marinho disse...

"Tem mais presença em mim
o que me falta".
[Manoel de Barros]

E a vida nos deixa nus como
quando antes de nascermos.

Prazer imenso
estar passar ficar
aqui.

Beijos, Analinda.

Cássio Amaral disse...

ponte dor sabor rima fácio e xula: AMOR. Trem que faz muitos sofrerem e muitos felizes...
Questionamento pertinente o seu. Bem construído.
Sou libra, libra e o amor...
John Lennon e Vinicius de Moraes eram de libra. RISOS!

Priska disse...

"Fique o amor onde está; seu movimento
nas equações marítimas se inspire
para que, feito o mar, não se retire
das verdes áreas de seu vão lamento."
Soneto Puro - fragmento Ledo Ivo

Alimentar os neurônias e enlevar a alma.
Vir aqui acolhe e aquece.
Beijo na tua alma

Chris Herrmann disse...

Estou encantada com o seu blog, Ana, e mal comecei a lê-lo e já tenho tantas lindas surpesas em conteúdo e imagens. Parabéns pela sua arte contagiante. Linkarei seu blog ao meu, também, com muito prazer.
Beijos,
Chris

Fabrício Brandão disse...

AMOR: até hoje nos causa estranhamento tal palavra. Penso em relações que se mantêm quando conseguem preservar as concessões necessárias. Penso na união dos inteiros e não das parcialidades. Penso no aceitar das misérias de cada um. Penso na unicidade de cada ser, cuja beleza só tem efeito quando sentida pelos que se deixam vivê-la.

Beijos, querida, e celebremos o amor em suas mais variadas formas!

Leila Lopes disse...

Quando em minhas mãos o amor, não creio em desistências, este vôo livre a dois que apenas poucos conseguem entender ou desfrutar.
Nunca desacredito!!
Beijos.

Ivã Coelho disse...

Emocionante as imagens montadas na retina da minh'alma.

Belo todo e terno.

Abçs, poeta.

Lyris disse...

é isso ai Leila!! o voo do amor dedicado nos faz crescer, voooaaar no infinito sempre, c vc não desacredito! c tudo, tb o amor, tem lá suas exigências e poucos conseguem !!
Lyris

Analuka disse...

...É, Lyris, o vôo do amor nos faz crescer, descobrir aos outros e a si mesmo, tornando bela e luminosa esta viagem da vida, rumo ao infinito!... E também é verdade que poucos, bem poucos, conseguem se entregar integralmente ao amor, e atender, delicada e pacientemente , às suas exigências: raros conseguem manter viva a centelha azul do encantamento, da ternura, do desejo, mesmo depois de des-cobrir as fraquezas e sombras do ser amado... Amar, delicadíssimo exercício alado!...que, quando é intenso e real, sempre vale a pena.
Além do mais, afetos profundos jamais findam, pois se eternizam na alma e na memória, transformando-se em cintilação do ser!...

Celia disse...

Lindo poema, Ana. E me inspira a compreensão de aspectos das vidas de todos nós. Não devemos nos arrepender de nada, muito menos de amar de forma tão intensa. Só se vive plenamente assim.. Um grande beijo.

Yuri Assis disse...

Ana,
fico extremamente grato por sua visita ao blog e por suas palavras maravilhosas que me acenderam um calor d'alma!
Obrigado por me linkar!!!!
Toda visita ao blog é extremamente importante pra mim e quando vi que havia mais comentários, fiquei tão feliz, tão radiante, tão luz!

Tua poesia é um ultra-sonho, altamente sinestésica e musical.

Achei maravilhosa tua forma de questionar a maneira como se ama atualmente.
E concordo, porque o amor não são cobranças que engaiolam, mas asas que libertam e permitem um vôo mais lânguido, mais cheio de sol.

Voltarei aqui também muitas vezes, para me encher de sol e sons.

Grande bjo!

Linda Graal disse...

...poderias tudo, caríssima!!! poderás sempre!! pratique teu vôo de versos encantados e rasgue as nuvens com teus ritmos de pluma poética! ósculos prateados!

Gilberto Maha disse...

Com habilidade suprema, conseguistes amenizar entre dor e humor a constante do "poderias" e "deverias" ao lembrar o passado de por ventura, amor, meu bem, doçura. E não foi por "acaso", que deixastes de recriminar, acusar, censurar, repreender, criticar, reclarmar e desistir, para vibrar e celebrar as lembranças doces e olhar, sem recentimentos, os assombros do prazer.
Não é para qualquer um não. Tem que ter plástica para artistar e conhecimento e vivência para poetizar.
Meus parabéns, conquistastes um fã!
Gilberto Maha