Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

4 de abr de 2007

Flor-de-Fogo



















Onde andará a chama incandescente
Centelha exuberante escondida
Faísca-flor-fugaz e fulgurante
A flor-solar-vivaz e atrevida?...
Onde andará a chave escarlate
A pérola da concha renascida
O brilho-luz do carmim-alyzarim
A cor, a cintilância esquecida?...
Onde estarão as leves asas rubras
A translúcida-volátil flor-da-aurora
O esboço transparente, mel do paraíso
A doçura lírika-rosada de outrora?...
Onde estará a flor-de-fogo flamejante?...
Vaporosa e perdida em abismos fundos
Viajando em outros céus e mundos
Sob mil véus, fagulha adormecida?...
Onde os riscos-lampejos das pétalas
O néctar doce da corola dourada
O segredo da flor-romã-encantada
O rio de aromas, seivas, matizes?...
Estará presa ou solta no espaço
A brincar entre nuvens, espirais e raízes
A espiar o esconde-esconde das luas
Das tempestades, das ondas, dos ventos?...
Frágil-forte flor-de-fogo flutuante
Semeando novas eras, novos tempos sem agruras
Desenhando seus caminhos finos-curvos
Sem espinhos, sem tristezas, só ternuras...


OU:

Onde andará aquela chama
Aquela centelha escondida
Faísca-flor incandescente
Aquele sinal-sol de vida?...
Onde estarão as chaves
A pérola da concha nascida
O brilho do alyzarim
A cor cintilante esquecida?...
Onde estarão as asas
Rubras da flor-da-aurora
O esboço do paraíso
A doçura rosada de outrora?...
Onde andará a flor-de-fogo?...
Em abismos profundos perdida
Viajando por outros mundos
Sob mil véus adormecida?...
Onde os riscos-estrias da pétala
O néctar da corola dourada
O rio de perfumes e seivas
O segredo da flor encantada?...
Estará solta no espaço
A brincar com estrelas e nuvens
A espiar o esconde-esconde
Das luas, das ondas, dos ventos?
Flor-de-fogo flutuante
Desenhando seus caminhos
Semeando novos tempos
Sem agruras, sem espinhos...

(esta era a primeira "versão", quase um esboço, do poema...
Às vezes, acabo gostando mais do rascunho!...
Digam o que acham...)

18 comentários:

Cássio Amaral disse...

A flor de foga está na sua alma, verve certeira pra pintar a poesia transcendente que arrepia os cabelos da alma.
luas que faíscam brilhos solares de uma tela do inominável.
tua verve, tua essência, tua alma.
é isso que eu busco na vida:
ALMA.
Lua cheia o cão(eu) uivo:

AAAAAAAAAAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!

Abração.

P.s. numa lan house ouvindo Pearl Jam. Ed Vedder é um poeta do Rock que eu gosto pacas.

Celia disse...

Querida Ana, achei inspiradíssimo este seu poema.. esta sua alma de artista realiza coisas surpreendentes. Um grande beijo.

P.S. Vou ler a "crosta e a Ostra", depois te falo. Estou numa fase louuuca de trabalho, não estranhe se eu sumir um bocadinho. beijosss

goyasoares disse...

Muito linda a poesia!
Quanto à Flor-de-Fogo eu penso que
ela está presa por uma borboleta
azul que ainda não saiu voando...
Bjks,
Gloria.

Fabrício Brandão disse...

Onde a pureza das coisas?
Tudo disperso,
na vida,
sob o olhar óbvio,
lá dentro,
chão onde caminha a alma.

Beijos em cores, querida!

Wagner Gallo disse...

Nos jardins luminosos,
Onde os céus espelham o azulado olhar,
Nem todos podem naquela jóia tocar.
Repleta de segredos, sonhos e desejos,
A flor-de-fogo por toda parte está!
Entretanto, esse valioso tesouro,
Protege-se dos enganos,
Camuflando todos encantos.
Entre douradas orquídeas,
Rosadas e delicadas pétalas,
Aguarda o sonhado calor.
Então como a encontrar?
Nem adiantas procurar!
Pois sua morna e perfumada seiva,
Que escolherá seu par!
Mas e depois que o encontra???
Num gesto sublime de carinho,
Derrama-se em cor de vinho,
Num envolvido beijo de amor.

Leila Lopes disse...

Alguns lampejos do fogo iluminam caminhos distraídos, os nossos caminhos!
beijo querida.

thiago disse...

Oi meu anjo azul.. palavras bonitas e transcendentes a suas, parece estar voando em diferentes nuances da vida e da alma.. gosto da flor-de-fogo, mas onde andará a flor-de-fogo?
beijos azul celestes, ultramar, colbalto...

Linda Graal disse...

Que doce!!! Impressionante como pode fazer o fogo ser leve!! a transcendência vermelha da sua alma em flor! Parabéns! bjbj

Luiz Carlos Rufo disse...

Ana, Como mandar o livro "Onde e Quando" de RUFO para você?

Tais Wonder Grimme

arvore637@arvore637.com.br

beijos

haidji disse...

onde sempre esteve
e de onde nunca saiu
...
anda pelo coração dos amantes
e foge dos que tem medo de amar
...
ali...tão perto dos que acreditam
tão distante das duvidas
fez a flor de fogo, seu eterno lar
....

parabens pela pintura

haidji

Anônimo disse...

Fantástico os seus escritos!
Gostaria de conhecer você e com você comentar esses seus escritos!
Abraço com afeto!

Carlos Bruni disse...

Acho que fico com a primeira versão (ou "rascunho", se preferir).
Ela é, digamos, mais contida. Contudo, penso fazer mais o meu gênero.

Lau disse...

Olha eu aqui, sem agruras e sem espinhos, deixando um beijo doce pra uma criatura doce que eu adoro muito. Feliz Páscoa, minha linda! Te gosto muito.

andarilho errante disse...

olá ana, antes de tudo, obrigado pelas palavras de carinho no andarilhoerrante e, claro, pode linkar ele sim. é sempre bom encontrar novas "palavras-coisas" como em "ânkoras & asas" - um paradoxo tão forte, marcante e enunciador da condição humana. o teu ritmo e a cadência dos teus versos, realmente impressionam. um grande abraço.

Ribeiro Halves disse...

A borboleta em flor
sabe sua cor, beleza azul,
e diz que há em cada coisa
aquela beleza que há na alma !

Deixo contigo meu carinho iluminado, do poeta !
Um grande abraço do poeta...

Ribeiro Halves

Lu Anna disse...

Algo de rasante
espinho cortante
uma flor que desabrocha selvagem na poesia

Essa que passou pelo esboço chegou brotando, fresca, forte, cheia da terra

beijos póéticos

Carlos Arthur disse...

Ana: em primeiro lugar, mais uma vez muito obrigado pelos comentários carinhosos no meu "Poemas". Adorei as duas versões de Flor-de-Fogo, você fez muito bem em expô-las ambas: a primeira (rascunho, como vc chamou) é mais ritmada, mais musical; a segunda é mais onírica, mais visual, evoca suas pinturas (que aliás são lindíssimas, adoro pintura onírica!) Um grande beijo

Gato Vadio disse...

Adorei as duas versões; adoro tudo que você escreve, "Analuka-Surreal-Insólita-Total... Sensibilidade à flor da pele, amor que brota em versos, a princípio arredios e libertos; mas nota-se uma ordem na desordem da alma poética que se desnuda a cada letra estampada no vídeo, na retina, em nosso coração". Serei constante em seu caminhar pelas veredas da poesia, vate inspirada - um abraço comovido do Jorge Luiz.