Exercícios poéticos, apaixonados e patéticos: pequenos mergulhos e vôos, para compartilhar...

23 de abr de 2007

...germinar...


...Outro outono em nossos ciclos, tempos e estações... folhas que se avermelham, e caem, rubras, douradas, dançantes, preparando a terra para novas sementes, flores e botôes... Dormem e sonham as borboletas...

13 comentários:

Concha Rousia disse...

Outono... minha época preferida do ano... talvez por isso escolho ser folhinha por vezes, e me sinto bem, muito bem dançando com tuas palavras... com tuas cores, tua obra sempre sensual e acolhendo com mornidão...
Abraços outonais querida amiga

cacau disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cacau disse...

Aninha,estas folhas douradas-rubro dançantes ilustradas por tão bela imagem,é algo lindo...
Parabéns artista plena!
Poetabeijodefãmesmo.
Cacau.

Cláudia Gonçalves disse...

Aninha, este teu ninho é encantador...Fios é belíssimo!
Menina, vc é uma artista que parece que usa a linha do horizonte para pescar a melhor imagem poética.
Abracinhodospampascacau.

Fabrício Brandão disse...

Mudam estações,
mudam cores.
Imperativo é renovar as vestes da alma.

Beijos, querida, de dentro desse rito de passagem!

Luciana Marinho disse...

... deixar-se para ser a paisagem
que se ver ...

beijos.

Lunna disse...

Outono é a estação da minha alma, quando tudo se renova pra mim e minha alma vaga por perfumes que são de chuva e sol, vento e céu intenso, com um vigor sem igual
Beijos.

Alexandre disse...

lindo poema, ana...
faz o outono ficar ainda mais lindo...

Concha Rousia disse...

:) hoje caiu minha folhinha... lembrei-me de ti e passei a te visitar... Sempre é um prazer espiritual o abraço das cores da tua paisagem...
:) :) :) Beijossssss

Leila Lopes disse...

Tempo nosso de aguardar o inverno e sua introspecção, seguimos agora ao sabor do vento.
Bjs, querida.

Luciana Marinho disse...

... deixar-se para ser a paisagem
que se vê ...

beijos.

carlos bruni disse...

Outono é agora o meu tempo. Plantei no verão com as regas da esperança,
adubei com as alegrias da primavera
e espero a hora da colheita.
Enquanto isso
viajo nas asas de uma borboleta.

Ivã Coelho disse...

Sementes eternas e fartas só podem germinar belas imagens.

Que os outonos das nossas existências tenham sempre belas cores.

Bjos, Anamiga.